Para Profissões

À aeromoça

Querida,

é impossível lembrar de você e não lembrar de algumas das mais belas qualidades possíveis de serem encontradas nos seres humanos: gentileza, simpatia, presteza, educação, graça e jovialidade. Se isso fosse pouco, você ainda é bonita e inteligente, e me deixa literalmente nas nuvens, quando, com sua voz angelical, dá boas vindas aos passageiros em português, inglês e espanhol (no mínimo, não é, amore mio!).
Sempre que penso em você me vem à cabeça a imagem de um anjo-da-guarda velando por nossa segurança e conforto, preocupado em fornecer pelo menos um cobertorzinho para que o frio não nos açoite com sua fúria; um anjo atento a umedecer nossa garganta com um copo d`água, cerveja, refrigerante ou whisky, caso aquele ar árido do avião nos açoite; sempre pronto para nos tranqüilizar com seu sorriso ao menor sinal de turbulência, ou mesmo capaz de perceber (antecipadamente) aquela gota de suor frio que está prestes a brotar nas palmas de nossas mãos.
Na verdade, você é um anjo! Eu só queria, mesmo, sinceramente, que você abrisse as suas imaculadas asas exclusivamente sobre mim. Mas, além das asas, traga-me também seus lábios, sempre umedecidos de fino e brilhante batom. Traga-me a doçura da sua voz, sempre disposta a perguntar se eu desejo mais alguma coisa. Traga-me a paz deste seu sorriso, único, próprio de quem vive no céu e capaz de me fazer pisar em nuvens. Sabe, estou apaixonado por você, e além de achar que você se parece com um anjo, ouso dizer que você, na verdade, é um avião! (e não me venha com essa história de que você acha seu nariz muito grande, porque Concorde também voa, tem nariz grande e é bonito!*).

Um beijo (pouco passageiro, espero) do teu,
(assinatura)

P.S.: se for para cair, que não seja como aquele Concorde que desabou na França, mas que seja pegando fogo - e no meu quintal...