Para Profissões

Declaração ao contador

Meu bem,
a essa hora da noite e você vem me falar em balanço? Já percebeu que eu estou há dois exercícios balançando na sua frente e, até agora, só tô levando prejú? Vê se esquece um pouquinho dos números e lembra que há alguém ao seu lado, além da sua inseparável calculadora financeira. Você janta contas a receber, dorme com contas a pagar e nem liga para os nossos fundos de reserva, certamente porque já nem está muito preocupado com o amortizado, visto que ele sempre foi pequeno mesmo!
Acho que vou deixar de te chamar pelo nome. A partir de amanhã você vai ser apenas o Sr. Contador e, pobre de você se eu resolver calcular os meus lucros cessantes desde o dia em que passei a fazer parte do seu passivo!
Acho que você está entendendo a minha posição, não é? Afinal, você não é burro, senão não teria nem conseguido aquele primeiro diploma do curso técnico que chegou pelo correio. O que eu quero dizer, é que você precisa disponibilizar a parte calculada como reserva de contingência para incrementar a sua capacidade de investimento. É preciso aumentar o seu ativo, querido!
Senão, eu vou decretar a sua falência ou, no mínimo, fechá-lo para balanço! Mas, como eu acredito na sua capacidade de reverter situações financeiras caóticas, aceite um beijo carinhoso da tua

(assinatura)